Meu amor é um vampiro

Gente… como tem gente trabalhando! Mais uma publicação da Editora Draco, com organização do meu querido Eric Novello e Janaina Chervezan. O bom é que é uma coleção, então os bons textos e talentos estão só começando! Mais detalhes abaixo, no release e apresentação oficial da Editora Draco:

A coleção Amores Proibidos vem mostrar que o amor verdadeiro vence todas as barreiras, e pode fazer pessoas muito diferentes descobrirem que tem algo em comum, mesmo quando o coração de uma delas não bate há séculos. 

Se apaixonar não é nada fácil. Rola ansiedade, expectativa e muito nervosismo pensando no primeiro encontro e, quem sabe, no primeiro beijo. Imagine então quando o pretendente é um vampiro?

Pode ser um bem tradicional de capa e longos caninos, um sombrio e misterioso que aparece de repente na sua janela ou um aventureiro de moto e calça jeans, louco para te levar em um passeio inesquecível. Nesses casos, a adrenalina é ainda maior!

Nas perigosas páginas de Meu Amor é um Vampiro você conhecerá histórias fantásticas das melhores autoras de literatura vampiresca nacional, repletas de casais apaixonados e situações surpreendentes. Mas não pense que tudo são flores e caixas de bombom, afinal de contas, encontrar o par perfeito pode esconder terríveis surpresas.

Proteja o seu pescoço e marque um encontro com histórias que vão do romance ao susto, do suspense ao riso, numa leitura com beijos de tirar o fôlego.

Quem nunca se apaixonou que enfie a primeira estaca.

Essa coletânea é organizada pelo escritor Eric Novello e pela editora Janaína Chervezan, leitores assíduos de literatura de vampiros, e tem o prefácio da dama morcega Giulia Moon, uma das maiores escritoras brasileiras dentro do gênero de terror vampiresco.

As autoras:

 Adriana Araújo

é uma criatura estranha com idéias esquisitas. Cria histórias em tempo integral e estuda Química na UFMG para se distrair. Já publicou contos nas coletâneas Pacto de Monstros (2009) e Paradigmas 4 (2010) e mantém os sites de tirinhas Bram & Vlad, sobre vampiros, clichês e coisas da vida e Periódicas, onde a Química ri. Seu lema de vida é “não se leve tão a sério”.

Ana Carolina Silveira

é advogada, blogueira, leitora inveterada e escritora eventual, não necessariamente nesta ordem. Tem residência variável, sendo a atual Belo Horizonte-MG. Jogou muito Vampiro: A Máscara durante a adolescência e até  hoje tem uma quedinha por Lestat de Lioncourt.

Cristina ‘Tziganne’ Rodriguez

 tem alma e vida de cigana. Muda incessantemente, procurando descobrir algo de novo no mundo que a cerca. Romântica, acha que o amor supera tudo, inclusive vampirismo. É casada e tem um filho. Dedica-se a escrever e a tentar cuidar de plantas, sem muito sucesso. ‘O vermelho do teu sangue’ é seu primeiro conto publicado. Para saber mais sobre ela, visite: http://tziganne.blogspot.com

Giulia Moon

é paulistana, formada em publicidade e propaganda pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP). Já foi diretora de arte, ilustradora, diretora de criação e sócia de agência de propaganda. Giulia tem três coletâneas de contos publicadas: Luar de Vampiros (2003), Vampiros no Espelho & Outros Seres Obscuros (2004) e A Dama-Morcega (2006). Em 2009, lançou o seu primeiro romance, Kaori: Perfume de Vampira. Participou das coletâneas Amor Vampiro (2008), Território V (2009), Galeria do Sobrenatural (2009) e Imaginários Vol. 1 (2009).

Helena Gomes

é jornalista, professora universitária e autora dos livros de ficção Assassinato na Biblioteca, Lobo Alpha, Código Criatura, Kimaera – Dois mundos, Nanquim – Memórias de um cachorro da Pet Terapia (infantil), O Arqueiro e a Feiticeira, Aliança dos Povos e Despertar do Dragão (os três últimos da saga A Caverna de Cristais). É também coautora da não-ficção Memórias da Hotelaria Santista (1997). Publica contos em sites, antologias e revistas. Mais sobre seu trabalho em http://mundonergal.blogspot.com

Nazarethe Fonseca

nasceu em São Luís, Maranhão. Começou a escrever aos 15 anos, após um sonho que se tornaria seu primeiro livro, uma trama policial. É autora da saga Alma e Sangue, iniciada com O Despertar do Vampiro e que prossegue em O Império dos Vampiros. Escreveu também Kara e Kmam, e publicou contos nas coletâneas Necrópole: Histórias de Bruxaria e Anno Domini.  Mora atualmente em Natal, Rio Grande do Norte. Seu e-mail de contato é almaesangue@gmail.com.

 Regina Drummond

é mineira e mora em Munique, Alemanha. Apesar da sua formação de professora, nunca deu aulas, mas sempre trabalhou com literatura. Autora de muitos livros, tradutora e contadora de histórias, fala alemão, inglês e francês. Já ganhou alguns prêmios e destaques, sendo o mais importante o Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, como editora. Escreve ainda para jornais e revistas, nacionais e internacionais. Entre seus livros, destacam-se “Destino: Transilvânia” (Ed. Scipione); “Sete Histórias do Mundo Mágico” (Ed. Devir); “O destino de uma jovem maga” e “Histórias de Arrepiar” (Giz Editorial); “O Passarinho Rafa”, (Ed. Melhoramentos). Para conhecer seu trabalho, acesse a homepage http://www.regina-drummond.de

 Rosana Rios

é autora de Lit. Fantástica, Infantil, Juvenil. Em 22 anos de carreira produziu ficção, teatro, roteiros (TV e quadrinhos), Publicou mais de 100 obras e recebeu os prêmios: Cid. de Belo Horizonte (1990), Bienal Nestlé de Literatura (1991), Prêmio Abril de Jornalismo (1994), Menção Altamente Recomendável da FNLIJ (1995, 2006) e foi finalista do Prêmio Jabuti (2008). Mora em São Paulo com a família, uma enorme biblioteca e uma coleção de dragões. Site: http://www.segredodaspedras.com. Blog: http://rosanariosliterature.blogspot.com.

Valéria Hadel

nasceu na capital do Estado de São Paulo. É descendente de húngaros e romenos, o que de certa forma explica sua familiaridade com vampiros. Graduou-se em biologia, fez pós-graduação em ecologia e zoologia, e mora em São Sebastião, litoral norte do Estado, desde 1984, quando foi trabalhar no Centro de Biologia Marinha da USP. Sua área de atuação é a pesquisa e o ensino em ecologia e educação ambiental marinha e costeira. No quintal da sua casa moram cinco vira-latas, um dos quais é personagem do conto que escreveu para esta coletânea.

Detalhes técnicos:                                                                                       

Meu amor é um vampiro
Organizado por: Eric Novello, Janaina Chervezan

ISBN: 978-85-62942-09-9

Gênero: Literatura Fantástica

Formato: 14cm x 21cm

Páginas: 160 em preto e branco, em papel pólen bold 90g
Capa: Cartão 250g, laminação fosca, com orelhas de 6cm
Preço de capa: R$ 31,90

 Sobre a editora:

EDITORA DRACO
Draco. Do latim, dragão.

A Editora Draco trabalha para fortalecer e patrocinar o imaginário brasileiro, tão nosso e único. Queremos publicar autores brasileiros, aliando design, ilustrações e tudo o que for possível para que nossos leitores sejam atraídos pela beleza das histórias e personagens que nossos livros trazem.

Com isso, esperamos que nossos leitores tenham acesso ao nosso maior tesouro: a literatura fantástica brasileira. 

Assessoria de Imprensa: A/C Erick Santos e Karlo Gabriel – editoradraco@gmail.com

Contato:                                                                                                                                         

www.editoradraco.com

draco@editoradraco.com

editoradraco@gmail.com

Guerra Justa

Pessoas,

Mais uma publicação da Editora Draco, abaixo o release para uma pré-degustação!

Romance de Carlos Orsi, autor veterano da literatura brasileira, Guerra Justa é uma viagem a um tempo em que a religião foi reinventada.

Quando o poder de prever o futuro é uma realidade, como se certificar de que aqueles que o detêm irão utilizá-lo para o bem de todos?

Abalada por uma catástrofe natural de proporções cósmicas, a humanidade reinventa sua religião e se unifica sob o culto do Pontífice – um homem que demonstra ser capaz de prever novas tragédias. Mas há quem duvide do bom uso desse poder e acredite que ele poderia evitar muita morte e sofrimento.

Duas irmãs, a freira Rebeca e a cientista Rafaela, veem-se envolvidas em um perigoso jogo de manipulação da realidade e são transformadas em agentes de uma conspiração que busca minar a influência do culto e desvendar o segredo de suas profecias.

Mas se o culto for destruído, quem protegerá a humanidade de uma natureza cada vez mais descontrolada? Como a conspiração poderá vencer um inimigo capaz de prever cada um de seus passos? E afinal, o que define uma guerra justa?

Carlos Orsi natural de Jundiaí (SP) é jornalista especializado em cobertura de temas científicos e escritor. Já publicou os volumes de contos Medo, Mistério e Morte (1996) e Tempos de Fúria (2005). Seus trabalhos de ficção aparecem em antologias, revistas e fanzines no Brasil e no exterior.

Selva Brasil – Release

A Editora Draco anuncia mais um lançamento, abaixo temos o release enviado pelo editor. Fiquei curiosa!

Selva Brasil

Esta é uma história alternativa que imagina como seria o Brasil vinte anos depois da invasão militar brasileira das Guianas, na Fronteira Norte, segundo os planos megalomaníacos do Presidente Jânio Quadros. Simultaneamente, a Argentina invadiu as Ilhas Malvinas, no Atlântico Sul.

Contudo, uma coalizão formada pelos países atingidos pela ação militar brasileira – Inglaterra, França e Holanda – e os Estados Unidos contra‑atacaram e empurraram os soldados brasileiros de volta, ficando com um bom pedaço da Amazônia Brasileira.

Desde então instalou-se um conflito permanente na região, com o Brasil e aliados latino-americanos lutando para retomar o território perdido e manter sob controle uma guerrilha patrocinada por aqueles países do Primeiro Mundo. É um Brasil completamente diferente do nosso, contido política e economicamente por esse conflito perpétuo, e com gerações de jovens brasileiros comprometidas com o conflito.

Amparada por uma pesquisa cuidadosa, Selva Brasil acompanha um grupo de soldados que – ao seguir para um ponto anônimo do Amapá, na fronteira com a Guiana Francesa, onde devem substituir uma outra unidade do Exército Brasileiro – se depara com desertores e com um plano secreto para romper as regras de engajamento que limitam o conflito na região.

Ao mesmo tempo, esses homens são confrontados com um estranho experimento militar que, indo além dos parâmetros do seu projeto, pode ter aberto um portal entre essa realidade paralela e a nossa.

Roberto de Sousa Causo

formado em Letras pela USP, é autor dos livros de contos A Dança das Sombras (1999) e A Sombra dos Homens (2004), dos romances A Corrida do Rinoceronte (2006) e Anjo de Dor (2009) e do estudo Ficção Científica, Fantasia e Horror no Brasil (2003). Seus contos apareceram em revistas e livros de dez países. Foi um dos classificados do Prêmio Jerônimo Monteiro e no III Festival Universitário de Literatura (com Terra Verde 2001); e ganhador do Projeto Nascente 11 de Melhor Texto, com O Par: Uma Novela Amazônica (2008).

Autor: Roberto de Sousa Causo

ISBN: 978-85-62942-07-5

Gênero: Literatura Fantástica

Formato: 14cm x 21cm

Páginas: 112 em preto e branco, em papel pólen bold 90g
Capa: Cartão 250g, laminação fosca, com orelhas de 6cm
Preço de capa: R$ 26,90

“Abençoado?”

Abençoado?” é um livro de suspense com toque de terror e pinceladas de humor.

Com notória influência de Stephen King, nessa história o que está em jogo é a sanidade diante do inimaginável, sendo quase impossível distinguir a tênue linha que separa o real do pesadelo.

O livro narra a história de Mateus Scaduvari [tem toda uma trama envolvendo a escolha desse nome], um menino capaz de realizar curas milagrosas. Ele é muito ligado a fé. Mateus é abençoado, ou será uma maldição? A resposta está guardada na imponência assustadora da mansão de sua família.

Chegando o quinto aniversário de casamento do casal Scaduvari, Guilherme, constrói uma gigantesca mansão em uma cidadezinha do interior, onde pretende se mudar com a esposa. Quando Mateus nasce, parece estar tudo perfeito, porém Guilherme não reparou em todos os detalhes. Algo de ruim passou despercebido de seus olhos. Algo terrivelmente poderoso. Algo assustadoramente mau. E essa força esta disposta a tudo para capturar os poderes de Mateus.

A luta apocalíptica entre Deus e o demônio. Um menino e a ânsia assassina de uma poderosa força malígna. Nessa guerra entre dois mundos, vencerá o mais forte.

Sobre o autor:
Juliano Sasseron é mineiro e abriu os olhos pela primeira vez no dia 6 de dezembro de 85. Formado em agronomia, aprendeu a apreciar as obras da Natureza, cultivar harmonia e colher amizade. Além da literatura, tem um grande interesse também pela Sétima Arte.

Fascinado pelo sobrenatural, publicou “Crianças da Noite” [Novo Século, 2008] e foi um dos convidados especiais na seleta “Território V” [Terracota, 2009]. Admirador da beleza feminina, Sasseron adora um bom vinho e não dispensa uma cerveja gelada com os amigos.

Blog: http://juliano-sasseron.blogspot.com

Site para o download do livro: http://www.estronho.com.br/downloads.html

BAZAR TARJA E DRACO

A hora chegou pessoas!!!

Vamos atualizar os títulos, completar as coleções.  Sem paradigmas quebrados ou preços além do imaginário, essas duas editoras em constante crescimento, oferecem aos seus leitores um menu variado. Autores nacionais muito bem selecionados, que nos surpreende sempre.

Livros e batatas muito apetitosas nos esperam nesse bazar… vamos?!

Mais detalhes nas palavras de Richard Diegues:


Segue o convite para o Bazar de Literatura Fantástica anual, que a Tarja Livros promove para divulgar livros e autores.

É uma oportunidade para que os leitores tenham acesso a seus livros favoritos com preços populares, para completar sua coleção.

Esse ano, além da Tarja Editorial, fechamos parceria com a Editora Draco, que também publica livros na mesma área.

Cada vez mais títulos vem surgindo e a qualidade das publicações aumentam gradativamente. Um ótimo 2010 a todos!

Que a cada ano o bazar cresça mais e mais, trazendo a Literatura Fantástica ao alcance de todos os seus leitores.

Contamos com sua presença lá no Bardo Batata, na Rua Bela Cintra, 1.333, em São Paulo, das 17 horas em diante.

Cartas do Fim do Mundo

Caros,

Espero que esta vos encontre muito bem, apesar de não poder dizer o mesmo diante do que fiquei sabendo…

Recebi cartas sobre o fim do mundo. É isso mesmo! O fim do mundo. Uma mais chocante que outra, redigidas de tal forma que só posso acreditar no que dizem. Bem sabem que não  sou facilmente impressionada, mas acreditei em cada palavra e…

Talvez fosse esse o início de um dos textos do livro: Cartas do fim do Mundo.

Textos muito bem selecionados de autores premiados e conhecidos. O escritor e também organizador Cláudio Brites, trabalhou muito bem e conseguiu reunir um time de peso. Pude estar presente no lançamento e conversar com alguns jabutis.

Os variados estilos deram um ritmo gostoso à leitura. O tema foi bem explorado e apesar de não tão impactante diante de tantos cataclismas anunciados e a displicência com que o mundo tem observado os sinais da natureza; as formas utilizadas pelos escritores o deixaram mais atraente. O livro não se propõe a ser um manual de sobrevivência, só nos remete a um tempo, menos improvável do que se pensa e realmente não impossível.

No final, chamo a atenção para a Apócrifa e o apêndice com um artigo de bases científicas, sobre um estudo de vários textos antigos de civilizações diferentes que apontam para o mesmo acontecimento histórico. Nem sei o que pensar…

O livro nos permite de muitos ângulos tirar as conclusões que nos é conveniente. Seja lá como será o fim do mundo e se caso isso realmente aconteça, é melhor ler o livro, por via das dúvidas, um pouco de cultura não faz mal a ninguém!

Hoje, Rober e Thargor

Hoje…

foi um daqueles dias que acordei com uma intensa felicidade. Um sentimento enorme, que ia nos olhos, no sorriso, no jeito nada discreto, na risada fácil… Um simples bom humor, talvez!

Por quê?

pelas boas horas de sono e os sonhos que tive, pelos amigos que voltaram de não tão longe e os que ainda estão tão distantes, ainda voltando da Terra Verde. Pelas palavras que li antes de dormir e outras ao acordar…

Aí, segui para o trabalho e  esbarrei com a rotina de incompetências eficazes. Não foi um esbarrão, foi uma trombada daquelas, em que tudo cai para o lado! Quando te olham como um ET.

Ora, não posso reclamar demais, rotinas administrativas são mesmo uma chatice e não combinam com a facilidade que tenho de dar-lhes o valor devido: rotinas.

É que as vezes é angustiante como as pessoas preferem complicar tudo e colocar uma máscara, chamada função, obrigação, procedimento ou qualquer coisa parecida. Sou prática e muito eficiente, mas o pior de tudo, é que sou FELIZ e, manifesto isso.

Assim, descobri no trabalho uma forma de preconceito que não conhecia… mas iniciei essa história toda de trabalho para dizer o que houve depois do esbarrão:

Rober…

Diante da normalidade burra de certas coisas, a lembrança dos amigos e de suas palavras, batem mais forte do que imaginamos, justamente para lembrar que há muito mais nesse mundo. Que é MARAVILHOSO, saber ver outros mundos e tantas outras cores e letras que iluminam meu horizonte!

Com quase nenhuma diferença, foi isso que escrevi ao meu salvador, com quem busquei refúgio ante aquela alienação corporativa. Talvez o culpado de parte da minha felicidade, já que foi as cenas de sua história, que me fez ter sonhos coloridos de verde e azul intenso. Dos quais saí  impressionada, mais ainda do que quando assistimos Avatar!

Thargor…

A verdade, é que algo mágico aconteceu quando li um certo livro e caí aos prantos, praticamente junto com o personagem. Ele debaixo de um abacateiro, e eu dentro de um trem, lotado da alienação da rotina diária.

Meus dias ficaram mais coloridos e fui devolvida a um tempo que já pensava perdido… Um tempo em que tudo era realmente possível e não havia barreiras para a minha imaginação, onde não havia espaço para me sentir só!

E não estou falando de infância, falo de essência. Aquilo que vai lá dentro, que faz parte da nossa assinatura no mundo. Tempo, não é algo linear. Então falo do tempo como aquilo que impera, que respiramos, que nos envolve e nos governa.

Conhecer o caminho para o Reino Dourado, lutar e chorar com suas personagens foi reconhecer a fortuna, a sorte em meus caminhos, quase uma casa, de onde posso imaginar ter saído há muito tempo atrás…

A emoção inexplicável, o impulso até infantil de devorar o livro e a angústia diante das poucas páginas para o fim; foi uma das melhores sensações que tive na VIDA!

A relação do leitor e sua interpretação do livro é individual, mas garanto que não há como não sentir algo. Seja nas dúvidas corajosas do Deiv, nas suaves e profundas palavras do Éhvarin, na lealdade incontestável de Hariel, na profunda sabedoria de Namesin, no destemor de Dora, na curiosidade de Ezel… O que dizer?!  É genial!

É por isso que você é tão importante meu caro Karma! Réss Fëanáry! Bem vindo à minha vida!

Livros de novo?!

– Livros de novo?! – foi o que o meu amigo disse quando eu abri a caixa que chegou pelo correio.

– Fazer o que! – respondi. Não consigo fugir deles; as capas brilham, as letras em relevo insinuando ou revelando o conteúdo. Quantas possibilidades em cada página? Quantas descobertas e vidas esperando a luz dos meus olhos para me encherem de novas visões?

Sei que a estante vai aumentando mais rápido do que posso ler, mas alguns desses livros são um resgate de algo meu que ficou lá atrás. Um resgate do que descobri quando os li pela primeira vez e não pude guardá-los fisicamente. Ficaram com seus donos, que gentilmente os cederam para o meu gozo. A impressão ficou eternamente, a implacável diferença entre o antes e o depois da leitura.

Esses livros em edições novas e cheiro de impressão recente, em cada letra me ensinam que a ação do tempo não é linear, como somos ensinados a pensar. Essa foi a principal lição que aprendi nas minhas viagens literárias, posso fazer parte do mundo que eu quiser. Ir e vir de um a outro com o fechar ou abrir de uma página!

Alguns dos meus amigos vão afirmar que sou neurótica quanto à integridade de um livro. Tenho tics quando alguém, na minha frente, dobra a ponta da página ou usa a orelha para marcá-las e quebra toda a lombada. O livro fica torto, nimguém percebe?! Talvez seja mesmo maníaca em relação a isso! Mas não me importo, já restaurei alguns volumes e é um trabalho nobre, de uma paciência divina. Então, prefiro mantê-los como estão!

Mas essa proteção, é pelo respeito ao que há dentro de uma capa bem feita em tintas e vernizes; dos cadernos separados e devidamente costurados; da lombada que o identifica. Das edições mais antigas às atuais, o que fascina e me faz respeitar um livro é o que o autor fez, o que passou para permitir que eu e muitos outros conhecessem sua história.

Claro, nem todos são o máximo! Mas os livros que vou resgatando por aí, nos sebos perdidos nas vilas ou no Estante Virtual, são aqueles que me fizeram amar ler e viver.

O prazer que tenho quando encontro um livro,  que eu já tenha lido ou compro outro que vou conhecer é viciante! Ainda vou receber muitas caixas pelo correio e espirrar nos sebos. Vou presentear a maioria dos meus amigos com livros ou vales-presentes de uma boa livraria, além é claro dos meus marca-páginas que não estragam e os meus artesanatos, mas isso é outra história…